2ª VIAconta água
Home do Site SAAE Pedreira

Setor Operacional

(19) 3853-3105

(19) 3852-3508

Setor Administrativo

(19) 3852-4653

(19) 3852-4654

Resumo

Atualização do Portal

16/01/19 23:00h

NOTÍCIAS & OBRAS

E.T.A. - Estação de Tratamento de Água

terça, 28 de janeiro de 2014

Não podemos produzir águas em indústrias, ou seja, fabricar esse elemento natural.
A água existente no planeta, segue seu ciclo, o que chamamos de ciclo da água. A água pode se purificar, mudar de lugar por meio de chuvas, transpiração das plantas e evaporação, porém a quantidade sempre será a mesma.
Partindo desse principio, sabemos que se não temos como “criar”, então devemos consumir de maneira consciente e correta.
Não podemos esquecer que a água faz parte do nosso dia a dia, do nosso corpo e praticamente de tudo que fazermos, como para beber, cozinhar, tomar banho, nadar, para produzir alimentos, gerar energia, fabricar produtos e para o lazer.
Por isso vamos pensar muito bem antes de abrir a torneira.

Algumas dicas são?

Limpe os restos de alimentos dos pratos, talheres e panelas, ensaboe tudo para depois enxaguar;
Feche a torneira para escovar os dentes ou fazer a barba;
Não tome banhos longos, feche o chuveiro enquanto se ensaboa;
Regue as plantas pela manhã ou no final da tarde, assim você evita a evaporação em excesso e garante um aproveitamento maior pelas plantas, se possível no jardim use um regador;
Adote a coleta seletiva;
Não polua nossos rios e córregos;
Plante árvores, principalmente nas margens para garantir uma maior disponibilidade de água e proteção de nossos corpos d’água;
Verifique vazamentos;
Não use a mangueira para lavar as calçadas;
Cubra as piscinas;
Não utilize a mangueira para lavar carros, ao invés disto utilize baldes.

Dicas para as Indústrias

Desligue os fornecimentos de água quando não estiver em uso;
Elimine vazamentos;
Ofereça treinamentos e instruções claras para seus colaboradores;
Utilize alternativas para refrigeração onde for apropriado;
Mapeie o sistema de água e esgoto;
Adote o reuso industrial para caldeiras e sistemas de refrigeração;
Utilize sempre que possível, a água da chuva, para regar jardim ou lavar o pátio.

Fases do Tratamento de Água

Não podemos produzir águas em indústrias, ou seja, fabricar esse elemento natural.
A água existente no planeta, segue seu ciclo, o que chamamos de ciclo da água. A água pode se purificar, mudar de lugar por meio de chuvas, transpiração das plantas e evaporação, porém a quantidade sempre será a mesma.
Partindo desse principio, sabemos que se não temos como “criar”, então devemos consumir de maneira consciente e correta.
Não podemos esquecer que a água faz parte do nosso dia a dia, do nosso corpo e praticamente de tudo que fazermos, como para beber, cozinhar, tomar banho, nadar, para produzir alimentos, gerar energia, fabricar produtos e para o lazer.
Por isso vamos pensar muito bem antes de abrir a torneira.

/

QUAIS SÃO AS FASES DE TRATAMENTO DA ÁGUA NA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE NOSSA CIDADE?

PRIMEIRO, necessitamos com o auxilio de bombas captar a água diretamente do rio jaguari, e por adução enviar esta água para Caixa d’água, como chamamos a nossa E.T.A – Estação de Tratamento de Água. Quando essa água chega na Estação, ela Chega BRUTA, o que podemos dizer IMPURA, com matéria orgânica e microorganismos.

A SEGUNDA fase, já na Estação de Tratamento de Água, nessa água bruta é adicionado dois produtos. A CAL e o SULFATO DE ALUMÍNIO, os quais corrigem o pH e propicia assim a formação de “núcleos”, ou seja, micropartículas que serão agrupadas na etapa seguinte.

A TERCEIRA fase é o que chamamos de FLOCULAÇÃO, onde esses “núcleos”, micropartículas durante movimento contínuo e suave dos
floculadores (pás que giram), se unem aumentando de tamanho. Essas micropartículas, são impurezas presentes na água, e assim, formam partículas maiores o que chamamos de FLOCOS.

A QUARTA fase é a DECANTAÇÃO. Os decantadores, são grandes tanques onde esses flocos formados no floculadores, terão tempo, para se decantar, ou seja, ir para o fundo do tanque , e ficarem depositadas por lá devido ao seu peso. Podemos dizer que nesta fase do tratamento, a água já está quase que totalmente limpa.

A QUINTA fase é a FILTRAÇÃO, onde a água passa por enormes filtros, contendo areia, e um leito de pedras, e as sujeiras que restou da fase de decantação ficará retida neste filtro. Assim, após passar por estas fases, a água já está limpa, porém temos que garantir que nenhuma bactéria ou vírus que tenha passado por estas fases cheguem em nossas casas, assim a água ainda passará por mais duas fases.

A SEXTA fase é a DESINFECÇÃO, ou seja, adição de CLORO, um elemento químico capaz de matar todas as bactérias ou vírus presente na
água, garantindo uma água limpa e potável, pronto para ser utilizada pela população.

A SETIMA fase é a FLUORETAÇÃO, que é a adição de outro elemento químico chamado de FLÚOR. Esse elemento é essencial para quando escovamos os dentes. Esse elemento protege os dentes contra as cáries e é útil para a saúde dos adultos. Durante todas as fases a água que está na estação é analisada em nossos laboratórios e também em laboratórios contratados, assim podemos dizer com certeza que a água que é distribuída está “POTÁVEL” para o consumo humano.

Assim, a água está pronta para ser distribuída para toda a população para usufruir de maneira consciente e sempre protegendo o Meio Ambiente. Temos que lembrar também, que durante todo o processo, necessitamos de pessoas capacitadas para tratar nossas águas, além de utilizar muita energia e produtos químicos, quanto mais água tratamos mais produtos, energia e mão de obra é utilizada, portanto, se economizarmos água em nossas casas, estaremos evitando que mais água seja retirada de nosso rio, estaremos economizando a energia e produtos químicos da ETA, protegendo cada vez mais nosso Planeta.


TARIFAS PRATICADAS

Para a tarifação da água e esgoto de um Município, os valores seguem Orientações dos Decretos em vigência no ano. Para os valores apresentados na tabela abaixo, é seguido o Decreto Municipal n° 1994 de 30 de Agosto de 2011, e a Lei 2.476 de 08 de Abril de 2005 a qual estipula o valor do esgoto a 80 % do consumo da água.
Esse valor de 80% do Esgoto é cobrado, pois o Município capta o esgoto urbano, porém o lança in-natura no Rio, o que faz com que o Município pague por Kg/ DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio) lançada no Rio para a Agência das Águas.

/

Exemplo: se você gastou no mês até 15m³ (Residencial), então você deve calcular da seguinte forma:
15 x 1,1854 = 17,78
80% de 17,78 = 14,22
17,78 (água) + 14,22 (esgoto) = R$ 32,00
Portanto você terá como tarifa no mês vigente R$ 32,00.

Agora , se você passou da tarifa mínima de 15 m³ (Residencial), você deve fazer a conta com os M³ utilizados, por exemplo:
foi utilizado no mês - 28 m³
28 x 1,86 (tarifa na faixa de 26 a 40 ) = 52,08
80% de 52,08 = 41,66
52,08 (água) + 41,66 (esgoto) = R$ 93,74
Portanto você terá como tarifa no mês vigente R$ 93,74..

Até o mínimo, não importa o valor, será cobrado sempre o valor de 15m³ X o valor da classe + 80% do Esgoto.

A partir do mínimo de cada classe, o usuário deve utilizar para o cálculo, o metro cúbico consumido X a tarifa deste consumo + 80% do total considerando o esgoto.

Responsável pelas Informações, Andréia Ap. Boscolo.



Comente e participe:


 

 

 

   Categorias

  Notícias

  Obras

   Arquivo

  2019
JAN

 

  2018
MAI JAN FEV MAR ABR JUL AGO SET JUN OUT NOV DEZ

 

  2017
DEZ FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV JAN

 

  2016
JAN FEV MAR ABR MAI DEZ JUN OUT NOV

 

  2015
NOV JAN DEZ FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT

 

  2014
DEZ JAN MAR ABR AGO SET JUL MAI OUT NOV

 

  2013
DEZ JAN FEV MAR ABR JUN JUL AGO SET OUT NOV

 

  2012
NOV JAN FEV MAR ABR MAI JUL OUT

 

  2011
SET OUT DEZ AGO NOV

 

DIGITE SEU E-MAIL E RECEBA NOVIDADES!
OK